MÃE ÁFRICA

Anúncios

NÓS E OS OUTROS

 ‎”Vinieron. Ellos tenían la Biblia y nosotros teníamos la tierra. Y nos dijeron: ‘Cierren los ojos y recen’. Y cuando abrimos los ojos, ellos tenían la tierra y nosotros teníamos la Biblia.”

[Eduardo Galeano]

EM NOME DE “EL REY” E DE “DIOS”

ENTRE A CRUZ E A ESPADA

LENNON E CHE. Pelo imperativo de nunca, nunca se perder a ternura!

Então… Tô aqui tentando fazer as vezes do advogado do Diabo, sabe. Mais cedo, qdo a vi, pensei: montagem? Uma tirada genial de quem a fez? Verdade? Nunca tinha visto… E olhe que há uma década transito até via sinal de fumaça com gente que vive encapsulado por fotos desse naipe. E como isso nunca de alguma forma apareceu, sei lá, eu, você, outros… Não vimos? Tudo bem que somos do Mundo de Oz, mas não é possível tanta alienação nossa, caso alguém nos acuse disso. O que vi de foto de Che, ouvi de estórias, é fantástico. Mas essa aí, nada. Sabe aquela vontade de querer acreditar com força nessa coisa linda aí de cima? Pois é… 

A imagem é tão fantástica que o que comunica acaba valendo a pena, não obstante a montagem.

A DOUTRINA DO CHOQUE | THE SHOCK DOCTRINE. Naomi Klein

Sinopse:
Toda a verdade por detrás da implantação do neoliberalismo mundo afora. Da mesma diretora do excelente documentário “The Take”, faz parte também da roda do pessoal que fez “The Corporation”. O documentário Shock Doctrine, baseado no livro como a mesmo nome, mostra as conexões entre os experiências desenvolvidas por cientistas, nos anos 40, e as ações da CIA pelo mundo afora nos anos seguintes. Assim como o eletrochoque ou a tortura são ferramentas para fazer que o paciente ou torturado seja obediente, O CHOQUE aplicado a países é a maneira para que práticas neoliberais sejam implantadas. O documentário mostra as práticas violentas das Ditaduras implantadas no Chile e na Argentina através dos ensinamentos dos EUA, através da Escola das Américas. Milton Friedman, o maior economista dos EUA de todos os tempos, foi o mentor dessa doutrina, que aplicou contra o interesses dos trabalhadores pelo mundo, as vontades da Escola de Chicago.

You Tube: Tragédia em Nova Orleans, 2005. Enquanto o mundo assiste ao flagelo dos moradores com as inundações causadas por tempestades que estouraram os diques da cidade, o economista Milton Friedman apresenta no The Wall Street Journal uma idéia radical. Aos 93 anos de idade e com a saúde debilitada, o papa da economia liberal das últimas cinco décadas vislumbrava, naquele desastre, uma oportunidade de ouro para o capitalismo: “A maior parte das escolas de Nova Orleans está em ruínas”, observou. “É uma oportunidade para reformar radicalmente o sistema educacional”. Para Friedman, melhor do que gastar uma parte dos bilhões de dólares do dinheiro da reconstrução refazendo e melhorando o sistema escolar público, o governo deveria fornecer vouchers para as famílias, que poderia gastá-los nas instituições privadas. Estas teriam subsídio estatal. A privatização proposta seria não uma solução emergencial, mas uma reforma permanente. A idéia deu certo. Enquanto o conserto dos diques e a reparação da rede elétrica seguiam a passos lentos, o leilão do sistema educacional se tornava realidade em tempo recorde.

PARA ONDE FOI SUA ARANHA? Árvores, Paquistão e Natureza

Um efeito colateral inesperado da inundação de 2010, em algumas áreas de Sindh, no Paquistão: milhões de aranhas subiram em árvores para escapar das enchentes.

Como a água demorou para recuar, muitas árvores ficaram encapsuladas em teias de aranha. Pessoas na área nunca tinham presenciado este fenômeno antes.

(Foto: National Geographic, via Earthian, original em http://on.fb.me/AgRxbD)